publicidade

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Eu (ainda) não morri

Parei de escrever sobre coisas ruins mas isso não esconde a realidade. Eu tenho uma doença que afeta negativamente meu desempenho em qualquer atividade, um diagnóstico que sem tratamento vai evoluir até desencadear uma série de problemas em todo meu organismo, uma doença relativamente simples e relativamente fácil de tratar mas que igualmente se complica com o tempo sem tratamento, um prognóstico de doença auto-imune incurável cujo tratamento pode requerer medicamentos caros e até já pode ser consequência daquele diagnóstico, minha mãe tem Munchhausen e já apresenta sintomas claros de Alzheimer, meu pai é sociopata e parece também ser esquizofrênico, uma irmã optou pelo distanciamento do mundo real e a outra apenas posso dizer que vive a uma distância segura. Não tenho amigos, exceto meia dúzia de pessoas com quem troco meia dúzia de palavras uma ou duas vezes por mês sendo que um deles eu vejo regularmente porque foi a única pessoa realmente inteligente que eu conheci na vida. Ainda estou preso a uma pessoa que me faz mal, mas de quem eu dependo pra pagar as contas e ter alguma chance de viver por tempo suficiente pra terminar alguns textos. Não tenho emprego, meu currículo não é apresentável e não tenho qualquer experiência profissional. Abandonei cinco faculdades e estou para perder uma bolsa de estudos integral na instituição mais conceituada da região, uma das melhores e mais premiadas do país.
Minha auto-estima é baixa por causa da rejeição da família e da segregação a que fui submetido durante longos anos, a despeito de toda pose e imagem que eu construo quando me apresento na rua e nas mídias socias. Não tenho expectativa para o futuro embora eu minta pra mim mesmo quando falo em prêmio Nobel ou penso em Turing Awards. Minha frustração é refletida em cada demonstração de alegria quando eu ganho de presente (dado por mim mesmo) um livro, uma caixa de lápis de cor ou um brinquedo: tudo que me foi negado quando criança. Não tenho segurança sobre o que eu comi hoje cedo, o que vou almoçar, se vou fazer um lanche ou jantar mais tarde. A casa é uma bagunça incontrolável que eu não consigo conter. Eu sou incapaz de organizar a minha vida e até mesmo o meu quarto. Eu não sou mais inteligente do que uma pessoa que bebe cinco garrafas de whisky com vodka e depois sai pra dirigir um carro em via movimentada com som alto estrondando no porta-mala.
Eu vivi a toda esperando algo que nunca veio e alguém que nunca aconteceu. E, sinceramente, eu acho que não vai mais passar. O meu tempo acabou.
Dowglasz Abjhørský

quarta-feira, 18 de maio de 2016

MATERNIDADE NÃO BEATIFICA NINGUÉM!

Eu estou doente e você quer que eu morra.

Mas só pra contrariar a sua vontade e não te dar esse gostinho eu vou continuar aqui, vivo, pra provar que você não representa nada pra mim e não tem direito nenhum sobre o controle da minha vida.

Não, você não tem o direito. E não vai ser do jeito que você quer. Ponto final.
Dowglasz Abjhørský

domingo, 1 de maio de 2016

Dicas de como fazer a barba crescer naturalmente

Um amigo, que é peludo, um dia já foi um lobo perigoso e atualmente é um urso caçador, sabe que eu também aprecio os pelos masculinos e lamento não ter uma barba tão bem desenvolvida. Assim ele me indicou o artigo Como Fazer A Barba Crescer Naturalmente, do blog O Masculino.
Então eu olhei as dicas apresentadas lá e fiz minha análise.
  • Óleo de Eucalipto - Essa é uma boa novidade pra mim, vou procurar e experimentar.
  • Biotina - Já faço uso de suplemento que contém Biotina.
  • Higiene da pele - Isto é realmente um hábito que deve se trabalhado, e tenho feito esfoliação há pouco tempo (insuficiente ainda para estabelecer o hábito).
  • Alimentação saudável - Eu já não sou de comer qualquer coisa mesmo, este item tá ok.
  • Beba água - Estou controlando o consumo de água porque comecei a apresentar sintomas de hiponatremia. Neste caso estou fazendo o inverso: ELIMINANDO ÁGUA. Todo dia tenho tomado sol no quintal de casa entre 10:00 e 12:00 (não necessariamente durante 2 horas seguidas, mas sempre dentro desse intervalo). O resultado é suor em bicas. Duas coisas acontecem: desobstrução dos poros e eliminação dos líquidos retidos.

O resultado é que minha barba já está mais bonita e, embora ainda tenha, os problemas com pelos encravados também melhoraram. E ainda acredito que seguir essas dicas do blog pode potencializar meus resultados.
Dowglasz.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Muda

Estou precisando de uma mudança. Estou precisando mudar. Uma atividade nova. Uma vida nova.

Eu não quero mudar de casa porque eu preciso de mais tempo pra me estabilizar fisicamente, no sentido da organização das minhas coisas. Eu só quero mudar as coisas de lugar. Mudar quem sou eu sem mudar onde eu estou. Assim eu finalmente vou conseguir me sentir seguro. Saber que se eu preciso, eu posso mudar. Sem ter que sair de onde eu estou por causa disso. Pesa como punição. E eu quero me livrar também desse peso, desse esforço e dessa pressão pra continuar com a mesma coisa por muito tempo. Por muito mais tempo do que eu acredito que eu poderia gastar.

Eu preciso de movimento nas coisas. Na vida. Nos planos. Na existência. Estou cansado de tudo parado, estático, segurado, prendido. Minha mãe sempre prende tudo. Ela interrompe. Ela pára. Ela modifica a natureza para a coisa não mudar, impedir que complete seu fluxo, estrangula, sufoca, mata, cala a boca pra não acontecer o pior: a mudança.

Vou mudar de novo o cenário onde montei meu escritório, quero fazer um espaço para produzir arte e vou fazer minhas refeições no lugar que escolhi como quarto.
Tenho dormido no quintal, com o colchão inflável, ao ar livre sob a Lua Cheia. Tem sido agradável, sem chuva, com clima ameno, ar fresco, gostoso. Todos os dias também tomo banho de sol à tarde, com a esteira porque o colchão pode derreter. Nesses momentos eu transpiro bastante. É muito suor mesmo, quando eu me levanto parece que eu tomei banho, todo, todo molhado. E acho que isso tem sido bom. Talvez eu estivesse retendo líquidos ou tendo problemas por excesso de ingestão de água. Li na Wikipédia que isso pode acontecer: os sais e minerais ficam muito diluídos então o organismo não os absorve como precisa absorver e começa a apresentar problemas. Minhas cãimbras já começaram a apresentar melhora, a forte tensão muscular que eu tinha principalmente nas pernas também reduziu muito. E eu voltei a sonhar.
Dowglasz Abjhørský.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Abandonando uma vida de pó e erva

Talvez eu tenha que abandonar a Herbalife. Representa uma cobrança sobre mim, um peso, uma força para fazer parte de algo que não sou eu, para executar uma atividade que não é compatível com o meu perfil, para me integrar a uma empresa que se apresenta de uma forma mas age de outra no mercado. Uma insistência - não, teimosia! - em querer encontrar pessoas inteligentes e estimuladas como eu, jovens, nerds, revolucionários... O portifólio institucional da Herbalife oferece tudo isso, mas aqui é tudo venda de porta em porta pra gordinho ao estilo do século 20.
Outro padrão da empresa é uma forçação de barra para apresentar um estilo de vida e uma rendimento muito difícil de atingir e que a maioria dos grandes ali dentro não obtêm com o trabalho na Herbalife, mas com outras fontes de renda que permitem manter firmemente um padrão econômico e também já investir em um nível alto, onde na verdade quem vai trabalhar nem é o próprio consultor em si mas aqueles que este conseguir recrutar atraídos pela imagem e status elevados.

Herbalife nada mais é do que controle de peso. Não "nutrição saudável" com aquele blá blá blá nerd tecnológico que me seduziu. Existem produtos mais baratos, mais acessíveis que dão o mesmo resultado (exceto referente a carros, casas e viagens).

Todos os produtos são muito caros e você só consegue vender a pessoas de poder aquisitivo elevado. Não é algo que se leva a um grande público. Para as pessoas de renda mais baixa o que se oferece sempre é o investimento pra se tornar consultor, em seguida continuar gastando pra fazer a certificação e ter a possibilidade de abrir o próprio Espaço Vida Saudável. O detalhe é que, enquanto isso, parte da certificação é feita trabalhando no EVS do patrocinador, atraindo e atendendo clientes do Espaço dele. A desculpa é que os cadastrados serão abaixo de você, e assim você terá um rendimento com o consumo deles.

Massivamente é adotado um regime de controle mental, é bem forçado mesmo, chega a ser cansativo se você não estiver sob permanente efeito dos shakes e chás. Eles te forçam a repetir mantras e frases de efeito que são os gatilhos ou âncoras para cada ação que eles querem que você realize na hora certa. Eles oferecem cópias pirata de manuais e best sellers de programação neuro-linguística aplicada ao marketing.
Alguém que usaria bem estes materiais seria bem-sucedido naturalmente nos negócios, só que eles direcionam sempre para as falhas no pensamento das pessoas, persuasão, dissuasão, ilusão. Você tem que enganar muitas pessoas ou você não pode ser bem-sucedido. Depois, quando você tiver números suficientes, você escolhe alguém abaixo de você para desenvolver com a mesma programação - e é sempre fácil encontrar pessoas capazes de exercer essa atividade em comunidades pobres, de famílias desestruturadas, pessoas que tendem ao crime mas encontram uma forma de executar as mesmas práticas sob a legalidade de uma empresa multinacional.

Eu estou completando 1 ano de cadastro na Herbalife agora, e foi um período inteiro de ilusão com a empresa que apenas não posso negar que me conduziu a algumas decisões que me fizeram mudar de vida: me estimulei a organizar de forma definitiva vários aspectos da minha vida que foram fragilizados durante 20 anos de tortura dentro de casa, me deu força para me fixar em um endereço e numa faculdade, e principalmente fortalecer meu estado psicológico adoecido pelo abandono e distanciamento familiar, além da negligência de autoridades que deveriam me ajudar.
Mas eu nunca ganhei dinheiro com essa empresa. Só vendi 1 pote de shake, 2 desodorantes e 1 omega 3.

Eu deixo a Herbalife no meu passado sem ter nada contra essa empresa. Exceto o mecanismo de atuação dos seus consultores; o perfil imutável com padrão de século 20 em meados do século 22; se baseando em suplementação alimentar de uma forma ilusória (porque o que dá resultado não são os produtos mas a mudança no estilo de vida, mudança essa inspirada pelos valores e desejos que os consultores instalam no cliente); e o abuso na aplicação das técnicas de manipulação da imagem e programação neuro-linguística.

Nada contra, apenas não é o que eu procuro pra minha vida. Isto significa que eu não vou pagar a anuidade para renovar meu cadastro.

Dowglasz Abjhørský.

domingo, 24 de abril de 2016

5 mil peças

Tomei coragem pra abrir meu presente de aniversário: um quebra-cabeças de 5.000 peças. A primeira coisa que eu fiz foi separar as peças por formato (nesse caso, referente ao número de pinos e chanfros).

terça-feira, 19 de abril de 2016

Jogo Político de Interpretação de Personagem ou RPG Bolsonaro

Eu tenho a impressão de que Jair Bolsonaro é aquele fala tudo exatamente ao contrário.
Do tipo "alguém tem uma ideia mais ou menos" aí ele vai, desenvolve aquela ideia, chega num ponto extremo, constroi um argumento e apresenta, como se fosse pra todo mundo ter certeza do absurdo que aquilo é.

Tem que ser de propósito, não dá pra alguém realmente ter convicção pessoal da maioria das coisas que ele diz.

Fora que ele também parece um personagem do Casseta e Planeta quando se analisa as falas dele.
Além disso, eu também sou do tipo que, vez e outra, termina uma discussão interpretando um argumento absurdo da outra pessoa exatamente pra mostrar como a ideia é absurda e pra ver se era aquilo mesmo que ela queria dizer. O triste é que muitas vezes a pessoa concorda que era mesmo aquela a opinião dela.

Dowglasz Abjhørský

domingo, 17 de abril de 2016

Fim de semana de descanso

Essa sexta-feira meus vizinhos fizeram uma festa só pra eles, sem perturbar o restante da rua. Na noite do sábado eles também não fizeram barulho e por enquanto ainda está tranquilo aqui.

Será que eles aprenderam a respeitar quem não gosta do mesmo estilo de música e intensidade do som?

Se for isso mesmo, como está parecendo, aqui vai voltar a ser uma rua familiar, de pessoas que se cumprimentam, se respeitam e onde as crianças brincam sem preocupação.

Dowglasz Abjhørský

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Crianças acordadas até tarde

Eu tava aqui pensando sobre as pessoas com quem discuto hoje em dia. Tem faixa etária de 18 anos e são as mesmas que discutiam comigo quando tinham 13.

E eu não sabia que ela tinham 13 anos, eu parava e pensava "velho, isso parece coisa de criança de 13 anos!", daí eu parei e pensei, então eu vi. Parei de discutir, fui fazer uma coisa mais útil e produtiva da minha vida, procurar pessoas mais inteligentes pra conversar...

Daqui a pouco, quando eu penso que estou tentando de novo com um público mais adequado, eu começo a ver o mesmo padrão de respostas, faço as contas e vejo que foram cinco anos...

Eu não sei lidar com esses adolescentes sem cérebro, eu quero alguns mestrados e doutorados pra ver se lá existe alguém capaz de dialogar no meu nível. Mas pra conseguir a titulação eu preciso vencer o desafio do Jardim da Demência, Lixão da Infância ou seja o que for que se chame isso.

Dowglasz Abjhoøský

Foco, dedicação e prática

Eu quero ganhar um prêmio Nobel e não tenho vergonha nenhuma disso. Não vou ceder às represálias que recebo no meio acadêmico. São pessoas que não têm autoridade para determinar o que eu vou ou não dizer.

Os professores, por outro lado, são importante referência para mim. E são eles, com sua postura de interessados em ter o nome associado à "melhor instituição da região", que continuam alimentando (conscientes disso ou não) as minhas aspirações. Eles falam sobre as vantagens de construir qualidades, de alimentar virtudes, de desenvolver habilidades, de investir em conhecimento, de ter sempre atenção, de saber o que está fazendo, de não se deixar conduzir pela maré mas ter o controle da própria vida e seguir a razão (em vez de seguir a opinião de um "líder").

Os outros não são importantes. Eles não me conduzirão nem me desviarão dos meus objetivos.
O importante sou eu, meus ideais e meus referenciais. São meus planos, minhas metas e os mapas que eu tenho para encontrar e seguir o caminho certo.

Estou engajado em um novo projeto antigo. E vai ser muito satisfatório e divertido seguir com ele.
Dowglasz Abjhørský

terça-feira, 12 de abril de 2016

Matar o professor

Eu estou insatisfeito com os meus colegas de turma. Não são somente os alunos de Computação que são favelados como se declaram, os de Civil também são em grande volume uma massa pastosa sem cor, sem sal, sem sabor. Me incomoda ser assim. Eles desprezam o que eu faço, menosprezam meus blogs e principalmente o blog que administro em benefício da turma. Eles desfazem de toda crítica que eu apresento, descaracterizando a crítica construtiva.
Hoje mesmo estavam falando em matar o professor de Geometria Analítica (Cláudio Chemmés) porque ele disse no Sábado que aplicaria prova hoje, em contradição a aviso anterior de que ele aplicaria em outra semana. Eles falaram em matar um professor no exercício da sua função! Eles foram explícitos ao falar sobre planos para matar o professor!

Intimamente, eu forço uma interpretação pra dizer que eles estavam fazendo uma brincadeira de mau gosto porque são sem-noção, inconsequentes, irracionais e não pesam o que isto significa nas mãos de um coordenador ou na mesa de um advogado. Eu forço a interpretação de que era apenas brincadeira e sugiro que eles tenham para si mesmos um limite.
É claro que eu estava falando com um monte de bestiais, do mesmo jeito que já aconteceu anteriormente com uma fatia maior do mesmo grupo de indivíduos. Indivíduos que com orgulho sabem dizer "aqui é favela".

Quando eu digo que desisto da sociedade porque as pessoas são burras e não vão evoluir... eles se despedem dizendo "vou ali na Faculdade Bar".
Eu queria um botão que eu pudesse apertar pra me economizar desses seres.
Dowglasz Abjhørský.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...